domingo, 29 de novembro de 2020

Promotores de eventos “pagam a conta” pela campanha eleitoral

 

Foi pra quem sobrou: para os Promotores de Eventos. A campanha política terminou com nítida presença de aglomerações sem seguir nenhum protocolo de segurança, ao contrário dos promotores de eventos que fizeram suas festas (nem todos é claro) obedecendo todos os protocolos.

O MP não teve coragem de peitar os políticos. Liberou geral. Não fez recomendação aos prefeitos. Muito pelo contrário. Vejam o exemplo de Natal (RN). O prefeito Álvaro Dias baixou decreto contra a campanha de rua. A governadora Fátima Bezerra derrubou. E ficou por isso mesmo.

Os promotores de eventos estão pagando a conta. É uma injustiça.

Nenhum comentário: