Sindicato dos Jornalistas do RN repudia declarações de Styvenson


Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte (Sinjorn) publicou nesta segunda-feira (22) uma nota de repúdio em relação as afirmações do senador Styvenson Valentim (Podemos) sobre a imprensa potiguar. No domingo (21), o senador publicou um vídeo reclamando do fato da sua irmã, Anny Kelly Valentim, ter recebido os R$ 600,00. Neste mesmo vídeo, ele diz que "a imprensa é suja, a imprensa do Rio Grande do Norte é baixa mesmo, é suja mesmo (…)".
https://agorarn.com.br/destaques_left/destaques_left4/irma-de-styvenson-recebe-auxilio-emergencial-e-senador-tomara-as-devidas-providencias/
O Sindjorn pede ao senador que ele se retrate sobre essa afirmação. Confira nota completa abaixo:
NOTA DE REPÚDIO
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte vem a público para repudiar as afirmações do Senador Styvenson Valentim quando acusa e generaliza a imprensa potiguar de “(…) porque a imprensa é suja, a imprensa do Rio Grande do Norte é baixa mesmo, é suja mesmo (…)” quando de uma fato ocorrido com um familiar seu, que não vem ao caso expor a família, como fez o Senador, infelizmente. Tais esclarecimentos poderiam ser feitos de outra forma, mais comedida, sem a publicidade que se tornou expondo a todos.
No Estado Democrático de Direito, a liberdade de expressão e imprensa são pilares que devem ser mantidos por todas as instituições para tornar claro os fatos e acontecimentos da nossa sociedade, principalmente quando envolvem agentes públicos.
O Senador Styvenson, quando ainda militar da polícia e coordenador da blitz da Lei Seca, ganhou notoriedade através dos meios de comunicação o que o credenciou a ser candidato ao Senado Federal.
Se tornando um agente público a sua visibilidade ficou ainda maior por defender bandeiras da moralidade, tendo que e ser capaz de tratar com sobriedade, sensatez e equilíbrio as críticas a ele imputadas.
O SINDJORN pede ao Senador Styvenson Valentim que se retrate da sua afirmação, revelando a sobriedade e equilíbrio de um agente público, considerando que há meios legais para agir se sentir-se atingido em críticas e comentários.
Alexandre Othon
Presidente SINDJORN

Postar um comentário

0 Comentários