Justiça manda prender 20 vereadores de Uberlândia (MG) por desvio de verbas


A Justiça de Minas Gerais expediu mandados de prisão para 20 dos 27 vereadores de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, no âmbito de investigação sobre suposto desvio de dinheiro público na Casa Legislativa Municipal.
As ordens são cumpridas na manhã desta segunda, 16, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual, que caça ainda outras 20 pessoas envolvidas no suposto esquema, além de realizar buscas.
Entre os investigados estão o presidente da Câmara, Hélio Ferraz, o Baiano (PSDB), que foi preso. Também estão na lista dos vereadores alvos de mandado de prisão os vereadores Juliano Modesto (SD) e Alexandre Nogueira (PSD) — o primeiro já estava preso, e o segundo cumpria prisão domiciliar e foi levado para a delegacia.
Para os três, o mandado é de prisão preventiva. Para todos os demais, prisão temporária.
Até por volta de 10h45, 18 vereadores já estavam presos e dois ainda não haviam sido localizados — o nome deles não foi divulgado. Das outras 20 pessoas alvos dos mandados, 15 já estavam presas às 10h45. Foram expedidos, ainda, 42 mandados de busca e apreensão, inclusive na Câmara.
O grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-MG, responsável pela ação, informou que a operação investiga desvio de recursos da verba indenizatória de gabinete da Casa, por meio de uso de notas fiscais frias de gráficas.

Postar um comentário

0 Comentários