quinta-feira, 9 de setembro de 2021

“País começa a perceber o grande erro que cometeu”, desabafa Robério Paulino


O vereador de Natal Robério Paulino (PSOL), fez uma análise das manifestações recentes e várias críticas ao presidente da república. Em conversa com a reportagem do Agora RN, Ele criticou as pautas dos manifestantes que foram às ruas no último dia 7.

Para ele, “o país começa a perceber o grande erro que cometeu ao eleger Bolsonaro. As manifestações mostraram um país dividido, mas ao mesmo tempo a ação de um setor de ultradireita rude, bruto, inculto, antidemocrático, que ameaça o país com um retrocesso, mas que está condenado ao fracasso e cada vez mais isolado. É um movimento que não tem programa para a crise econômica e social criada por Bolsonaro. Seus apoiadores só demonstram cegueira, ódio e insensibilidade, ao negar a elevação dos preços da comida nos mercados e supermercados, do gás, da energia elétrica, ao debochar das 600 mil mortes no país”.

O parlamentar ressaltou sobre as ameaças constantes a democracia e condenou a proposta para fechar o STF: “Ao mesmo tempo em que penalizam a população brasileira no que toca à sua sobrevivência material e sua saúde, o bolsonarismo ameaça a limitada democracia que conseguimos nesse país e suas instituições, propondo fechar o STF, dissolver o Congresso etc. Mas não se pode confundir o que está acontecendo a partir de suas bravatas”.

Para Robério, o bolsonarismo está em decadência. Situação que ele atribui ao comportamento do presidente e suas declarações polêmicas: “O bolsonarismo é claramente uma corrente em decadência. Dezenas de países importantes já trataram de se afastar de Bolsonaro, que está isolado no mundo. Bolsonaro faz a credibilidade internacional do país cair, faz o Brasil passar vergonha. Fortes setores empresariais da indústria e das comunicações, como a Globo e outras redes, já se afastaram. A Globo claramente condenou as manifestações bolsonaristas e demonstrou certa simpatia pelas manifestações críticas à Bolsonaro e aos panelaços. Mesmo setores do sistema financeiros e do agronegócio tratam de tomar distância do governo”.

Um fator que pode deixar o presidente em uma situação ainda mais complicada, seria a possibilidade de saída do Centrão no apoio a Bolsonaro e crescimento da candidatura de Lula (PT).

“O Centrão ameaça desembarcar. Por outro lado, os movimentos sociais vêm num crescente de manifestações desde o início do ano, com a simpatia e o apoio de setores cada vez mais amplos da população. As diversas pesquisas apontam que Bolsonaro é apoiado por uma porcentagem cada vez menor de eleitores, sendo muito improvável sua reeleição, enquanto Lula e outros candidatos crescem. O país começa a perceber o grande erro que cometeu ao eleger Bolsonaro”.

Via Agora RN

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Postagem mais vistas