Não precisamos de políticos cuspidores de microfones destilando ódios, um festival de baixarias, são espetáculos deprimentes


PRECISAMOS DE POLÍTICOS HONESTOS E PACIFISTAS.  Nestes últimos dias, temos assistido de camarote,  aquí e alhures (em outros lugares), um verdadeiro festival de baixarias entre lideranças políticas de todos os matizes. 

Sou à favor de políticos íntegros,  honestos, preparados, educados, conscientes, que façam do cargo público dado pelo povo o canal  para retribuir em trabalho,  obras, saúde,  educação, amor, pacificação,  bons exemplos, maturidade e sobretudo respeito e consideração ao povo e à liturgia do cargo público que ocupa. 

Isso serve para todos.  Do vereador ao presidente da República. Pois bem, munidos de microfones de rádios e TV's,  além das mídias sociais, lideranças políticas e pré candidatos à prefeito, vice e vereadores tem proporcionado espetáculos deprimentes, uns atacando os outros, numa indigência intelectual e mental de fazer dó e piedade. 

Temos visto homens e mulheres com formação universitária,  soltando impropérios de fazer vergonha à  mais impudica das pessoas. 

É triste ver homens públicos,  acompanhados por acólitos (um membro da igreja católica instituído para auxiliar o diácono e ministrar ao sacerdote nas ações litúrgicas, sobretudo na celebração da missa. É sua função, também, cuidar do altar e, com o ministro extraordinário da comunhão, distribuir a sagrada comunhão), se insultando, levando o país, o estado e municípios ao caos e ao abismo. 

Precisamos de lideranças políticas de envergadura moral inatacável e que se comportem como tal, e não cuspidores de microfones destilando ódios, soltando impropérios envergonhando à todos que esperam exemplos de lisura e respeito de seus representantes. Pensem nisso! 

(Por Gilvan Rodrigues Leite, Gestor Público e Gestor Ambiental aposentado).

Postar um comentário

0 Comentários