Secretário de Saúde do DF é preso em operação sobre irregularidades em compra de testes para Covid-19


O secretário de saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, foi preso preventivamente na manhã desta terça-feira (25), em uma operação que investiga supostas irregularidades na compra de testes para detecção da Covid-19. Ele foi detido no apartamento onde mora, no Noroeste.

Trata-se da segunda fase da operação Falso Negativo, deflagrada pelo Ministério Público do DF. Ao todo, foram expedidos 44 mandados de busca e apreensão e sete de prisão, entre temporárias e preventivas. Estão entre os detidos:

Francisco Araújo - secretário de Saúde do DF
Ricardo Tavares Mendes - ex-secretário adjunto de Assistência à Saúde
Eduardo Hage Carmo - subsecretário de Vigilância à Saúde
Eduardo Seara Machado Pojo do Rego - secretário adjunto de Gestão em Saúde
Ramon Santana Lopes Azevedo - assessor especial da Secretaria de Saúde
As ordem judiciais estão sendo cumpridas em outros oito estados além do DF, onde estão as empresas fornecedoras dos testes. São eles:

Goiás
São Paulo
Rio de Janeiro
Bahia
Santa Catarina
Mato Grosso
Espírito Santo
Rio Grande do Sul
Acionados pelo G1, a Secretaria de Saúde e o governo do DF não haviam se manifestado até a última atualização desta reportagem.

Segundo o MPDFT, o objetivo da operação é desmantelar uma suposta organização criminosa instalada dentro da Secretaria de Saúde do DF para fraudar a escolha de fornecedores e superfaturar a compra dos testes. Os investigadores afirmam que o prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 18 milhões.

A primeira fase da operação foi deflagrada em 2 de julho. À ocasião, foram cumpridos 74 mandados de busca e apreensão em mais de 20 cidades pelo país. As investigações são do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Procuradoria-Geral de Justiça do MPDFT.


Postar um comentário

0 Comentários