segunda-feira, 31 de maio de 2021

Termina hoje prazo de entrega da Declaração do Imposto de Renda


O prazo para entregar a Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2021 (DIRPF) acaba amanhã. É preciso cuidado, na correria de última hora, para não cair na malha fina ou pagar multa por informar dados incorretos ou incompletos. Numa orientação aos contribuintes, Eduardo Canova, presidente da Leoa — plataforma de declaração e antecipação da restituição do IR —, indicou os principais motivos que levam a problemas com o Leão e como evitá-los.

“A melhor forma de não cair na malha fina é ser totalmente honesto com os dados que você declara no seu Imposto de Renda. Afinal, a multa que deve pagar, caso caia na malha fina, pode chegar a 225% do valor total do imposto devido”, alertou. “A Receita Federal tem acesso às mais diversas movimentações de dinheiro, cruza os dados com informes de empresas e instituições bancárias ou até mesmo de familiares e pode encontrar dados duplicados ou adulterados.”

O contribuinte tem de ficar atento, por exemplo, se o informe de rendimentos está correto. O documento é emitido pelas instituições financeiras sobre os retornos das aplicações. “É muito fácil conseguir por meio do banco de dados da Receita Federal, e muita gente acaba recebendo multa por fraude quando é comprovada a incompatibilidade”, frisou Canova. Um erro de digitação, ou um dado incompleto, pode parecer uma coisa mínima, mas não é. “Revise sua declaração antes de enviá-la”, disse.

Um dilema dos divorciados é a inclusão de dependentes. Mas apenas quem tem a guarda da criança é quem pode declará-la. “Caso não tenha a guarda dos filhos, mas pague pensão alimentícia, é possível declarar as crianças como alimentandas e não dependentes. A Receita descobre facilmente a irregularidade apenas cruzando os dados do ex-parceiro ou da ex-parceira”, assinalou o especialista. Também é um risco omitir a renda dos dependentes na sua DIRPF, mesmo que o benefício seja de pequeno valor. Declarar gastos médicos ou odontológicos com falhas também é motivo para cair na malha fina, assim como omitir ganhos em ações, recebimento de aluguéis ou pensões.

Elvira de Carvalho, consultora tributária, contadora e especialista em Imposto de Renda da King Contabilidade, destacou que a multa para quem apresentar a declaração depois do prazo é de 1% ao mês-calendário, com valor mínimo de R$ 165,74, e máximo de 20% do IR devido. “Envie a declaração incompleta e depois retifique. Mas cuidado: após o prazo, não há possibilidade de troca do modelo (simplificado ou completo). O hábito frequente entre os brasileiros, de deixar para preencher e enviar os dados na última hora, aumenta as chances de prejuízos financeiros”, reforçou.

Nenhum comentário:

Postagem mais vistas