segunda-feira, 26 de julho de 2021

MDB diz que expulsará filiados que aceitarem assumir pastas de Bolsonaro

O MDB nacional afirmou, nesta segunda-feira (26), que qualquer de seus filiados que aceitar assumir um ministério do governo do presidente Jair Bolsonaro será “convidado a se retirar” da sigla. Com as recém anunciadas mudanças na Esplanada dos Ministérios, com a ida do presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PP-PI), para a a Casa Civil, outros políticos começaram a ter seus nomes considerados para chefiar ministérios.

Diante das mudanças, aventou-se a possibilidade nos bastidores de que o MDB, maior bancada do Senado, também gostaria de chefiar uma pasta.

A postagem oficial aparece como resposta aos rumores crescentes de que o partido também entraria no governo de forma direta. A sigla já têm o líder do Governo no Congresso e no Senado.

Nogueira substituirá o general Luiz Eduardo Ramos, deslocado para a Secretaria de Governo, hoje comandada por Onyx Lorenzoni. A decisão coloca o senador na função de garantir maior articulação com o Congresso, principal foco de interesse de Bolsonaro devido às pressões da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado.

Onyx continuará no governo e deverá chefiar o Ministério do Emprego e Previdência Social, pasta que será desmembrada do Ministério da Economia.

Outro senador que está sendo cogitado pelo governo é o Jorginho Mello. O nome tem entrado em conversas sobre a possibilidade de ele assumir a pasta do Turismo.

Poder 360

Nenhum comentário:

Postagem mais vistas