Férias de Bolsonaro, em plena pandemia, custaram R$ 2,4 milhões. Nós pagamos


As férias de fim de ano de Jair Bolsonaro em Santa Catarina e no Guarujá custaram aos cofres públicos R$ 2.452.586,11.

As informações estão em ofícios recebidos pelo deputado federal Elias Vaz (PSB), que havia provocado a Presidência da República.

“É um tapa na cara do brasileiro”, disse o parlamentar. “Em plena pandemia, quando o Brasil registrava quase 200 mil mortes, o presidente torrava o dinheiro do povo com passeios. Enquanto isso, falta comida no prato de milhares de cidadãos atingidos em cheio pela crise”, acrescentou.

Os dados só chegaram ao deputado quase três meses depois da apresentação dos requerimentos. Os gastos, detalhados pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), incluem, por exemplo, locomoção terrestre, aquática e aérea do presidente, da família, de convidados e da equipe de profissionais que os acompanharam. Também englobam passagens áreas, diárias e despesas com cartão corporativo.

O Antagonista

Postar um comentário

0 Comentários