Explosões no porto de Beirute foram causadas por 2.750 toneladas de nitrato de amônia

Cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amônio foram armazenadas no depósito do porto de Beirute que explodiu nesta terça-feira, causando mortes e danos sem precedentes na capital libanesa, informou o primeiro-ministro Hassan Diab.
“É inadmissível que um carregamento de nitrato de amônio, estimado em 2.750 toneladas, esteja em um armazém há seis anos, sem medidas preventivas. Isso é inaceitável e não podemos permanecer calados sobre esse assunto”, declarou o primeiro-ministro durante o reunião do Conselho de Alta Defesa, de acordo com declarações citadas por um porta-voz em entrevista coletiva.
O nitrato de amônio é um fertilizante químico e também um componente de explosivos.
“Não descansaremos até encontrar a pessoa responsável pelo ocorrido para que preste contas”, prometeu Diab.
O Conselho de Alta Defesa recomendou ao governo decretar o estado de emergência pelas próximas duas semanas na cidade de Beirute. Durante este período, um “poder militar supremo se encarregará de todas as prerrogativas de segurança”.
O governo fará uma reunião de urgência na quarta-feira.
UOL

Postar um comentário

0 Comentários