Pular para o conteúdo principal








 

Instagram volta atrás e promete diminuir recomendações de posts após críticas

blog do Jasão

O Instagram vai voltar atrás e prometeu reverter mudanças recentes no aplicativo, que vinha se aproximando do formato do rival TikTok.

Em entrevista publicada nesta quinta-feira, 28, pelo site Platformer, do jornalista americano Casey Newton, o chefe do Instagram, Adam Mosseri, afirmou que o algoritmo da rede social será reajustado para voltar a mostrar mais publicações de perfis e páginas seguidas pelo usuário, e não sugestões de conteúdos novos.

Além da mudança no algoritmo, o chefe do Instagram prometeu abandonar os testes internos com fotos e vídeos em tela inteira — outra inspiração no TikTok.

“Estou feliz que assumimos o risco. Se não falharmos de vez em quando, não estaremos pensando grande o suficiente”, declarou Mosseri ao site. “Mas nós definitivamente precisamos dar um grande passo para trás e reagrupar. Quando aprendermos o suficiente, voltamos com alguma nova ideia.”

Nos últimos meses, o Instagram vinha testando novos formatos. Vídeos curtos (batizados de Reels) de desconhecidos ganhavam espaço no feed, em detrimento de publicações de conhecidos.

Usuários criticaram recentemente essas mudanças, pedindo que a rede voltasse a ser como era antes. Celebridades como Kim Kardashian pediram que o Instagram deixasse de tentar imitar o TikTok, onde o algoritmo do app recomenda vídeos a partir do gosto do usuário.

De acordo com Mosseri, a repercussão negativa ajudou a ver a perspectiva dos usuários em relação às mudanças na plataforma, mas que as pessoas ainda estão “se confundindo um pouco” com os propósitos das alterações no Instagram.

Para ele, a forma como as pessoas estão consumindo conteúdo na plataforma mudou — com maior foco em vídeos ao invés de fotos —, mas que as pessoas ainda estão relutantes com um design diferente do que estão acostumados. “É uma mudança de paradigma que temos visto há muitos, muitos anos. E isso é frustrante para pessoas que se sentem muito mais confortáveis ​​criando ou consumindo fotos, e eu entendo isso”, diz Mosseri.

Fonte: Estadão

Comentários

Aperte o play para ouvir