Pular para o conteúdo principal








 

[VIDEO] Apresentador da 96 dá resposta forte a empresário denunciado pelo MPF por fraude

Bruno Giovanni respondeu nesta quinta-feira (30), no Meio Dia RN, aos comentários do empresário Wbiranilton Linhares de Araújo, conhecido como Pezão, e que foi denunciado pelo Ministério Público Federal por fraude em licitação. Na noite anterior, Pezão foi para as redes sociais acusar BG de estar por trás da divulgação dessa notícia do MPF - na realidade, a divulgação foi feita pela assessoria de comunicação do próprio órgão federal. 

Na resposta, Bruno Giovanni citou trechos da denúncia e afirmou que foi até ameaçado pelo empresário, que teria dito que "o pegaria na academia", frequentada diariamente pelo comunicador. 

Veja parte do texto divulgado pelo MPF sobre o assunto: 

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou os empresários Wbiranilton Linhares de Araújo - conhecido como “Pezão” - e Paulo Sérgio da Trindade por fraudarem uma licitação destinada à compra de refeições para o campus de Santa Cruz do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), em 2015. Eles fizeram uso de três empresas para, conjuntamente, derrotar outros concorrentes, através da fraude conhecida como “coelho”. A denúncia do MPF já foi recebida pela Justiça Federal no Rio Grande do Norte, após decisão favorável do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5).

O golpe consiste em manter uma das empresas baixando seguidamente os preços (o “coelho”) de forma a tornar inviável a participação de outras concorrentes não envolvidas no esquema. Uma vez que as demais desistem, a empresa “coelho” abre mão do contrato em prol de uma empresa “parceira”, que manteve um lance alto.

Wbiranilton Linhares é sócio das empresas Acrópole Comércio e Serviços Ltda. e Wbiranilton L. de Araújo (atual Ceia Refeições Coletiva Ltda.). Já Paulo Sérgio tem sociedade na P. J. Refeições Coletivas Ltda. O MPF constatou, durante as investigações, que as três empresas fazem parte de um mesmo grupo, cuja cúpula diretora se situa na sede da PJ, localizada em Natal.

Comentários

Aperte o play para ouvir