BTemplates.com

Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque




Aperte o play para ouvir

Aglomeração com 10 mil pessoas em João Câmara foi paga com dinheiro publico, 40 mil, Prefeito, secretário de saúde e coordenador do gabinete de crise foram os responsáveis

Nesta matéria não vamos falar de religião, mais da aglomeração e ações populistas promovida por gestores que continuam ignorando o aumento constante nos casos de covid-19 diariamente.

Enquanto vários gestores pelo Brasil estão publicando o cancelamento do carnaval para evitar a aglomeração e coibir o aumento nos casos de covid, o prefeito de João Câmara segue na contra mão.

Será que já esqueceram quantas famílias do nosso município ainda choram com a perda dos seus ente queridos?

Será que já esqueceram quantos empresários do nosso município fecharam as portas, em virtude dos decretos?

O próprio rodapé do boletim epidemiológico publicado diariamente pelo gabinete de crise esta escrito:

#FIQUE EM CASA!

Como assim?

Para covid-19 não importa se a aglomeração é para louvar a alguma divindade ou simplesmente a festa do carnaval, basta um ambiente propício para o vírus se proliferar.

É inaceitável ver os responsáveis pelo município, o prefeito, o secretário de saúde, inclusive o coordenador do gabinete de crise, sendo  os principais responsáveis pela aglomeração que levou 10 mil pessoas nesta quarta feira (19/01/2022), para assistir um show religioso, no largo Monsenhor Luiz Lucena  ao lado da igreja matriz.

João Câmara tem pouco mais de 35 mil habitantes, e naquele dia o equivalente a 1/3 da população participou da aglomeração em plena pandemia. inclusive atraindo caravanas de outros municípios.

Pasmem os senhores, a aglomeração foi patrocinada com dinheiro publico, a prefeitura pagou R$ 40 mil reais pelo show e segundo o padre Josino, toda a articulação foi feita sob o comando da maior autoridade de saúde do município de João Câmara Bruno Balinha secretário de Balinha.

Esta conta vai sair muito cara pra todos nós,  além dos 40 mil, agora vem a superlotação no centro de covid do município e no hospital regional, Sem falar nos ESFs.

Quero ver como os responsáveis pelo município e o gabinete de crise irão se comportar nos próximos dias, após eles serem os principais responsáveis pela maior aglomeração realizada em João Câmara em 2022. 

Fiquem atento os senhores, o motivo que levou prefeitos e governadores pelo Brasil cancelar o Carnaval, não foi a festa em si, mais a aglomeração.

Há quem diga que ninguém foi obrigado a ir ao show! "verdade"  no entanto quando os decretos são estabelecidos, todos nós somos obrigados a cumprir, gostando ou não.

Fico solidário aos profissionais de saúde, os verdadeiros heróis nesta batalha, por estarem na linha de frente no combate ao vírus. a partir de agora o trabalho e a exposição ao vírus vai aumentar, com o aumento nos casos.

Será que o prefeito junto com o gabinete de crise vai publicar um novo decreto com restrições?

Fico solidário também a guarda municipal de João Câmara, caso o prefeito Manoel publique um novo decreto,  eles vão trabalhar dobrado pra tentar fazer valer a força bruta de um decreto, impondo regras rígidas a toda população.

Esta é a minha opinião sobre os últimos acontecimentos em nosso município, você não é obrigado a concordar, continuarei respeitando a todos, amar João Câmara é lutar pelo bem comum de todos.

Sabemos que mais de 90% da nossa população depende do SUS, não tem condições de pagar um plano de saúde.

Acorda João Câmara...



Comentários

Unknown disse…
Infelizmente alguns profissionais da saúde estavam aproveitando o evento.