Pular para o conteúdo principal








 

Anvisa revoga recolhimento do losartana e diz que medicamento é seguro


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) voltou atrás na decisão de recolhimento e interdição de diversos lotes de vários fabricantes do medicamento losartana, usado para tratar pressão alta.

A determinação havia sido tomada em junho, após a detecção de um tipo de impureza chamada "azido'", até então presente em níveis mais elevados do que o adequado. A substância pode surgir durante o processo de fabricação do insumo farmacêutico e inicialmente foi considerada um "mutagênico em potencial", ou seja, uma possível causadora de alterações capazes de provocar danos às células humanas.

A reversão da medida, segundo a Anvisa, é motivada pelo recebimento, na quinta-feira (7), de novos dados científicos solicitados à agência regulatória europeia European Medicines Agency (EMA). Diante dos estudos realizados, a impureza foi reclassificada para "não mutagênica", ou seja, passou-se a considerar que ela não possui a toxicidade inicialmente identificada.

Em comunicado, a Anvisa informou que a medida tomada anteriormente foi "preventiva" e que, "com os novos dados apresentados, os limites de segurança foram recalculados, indicando que os lotes do medicamento que foram recolhidos ou interditados não os ultrapassam".

Com informações do G1


Comentários

Aperte o play para ouvir