Pular para o conteúdo principal

PI 072813 (02)

PI 072813 (02)

Torreão FM web

PI 072813 (01)

PI 072813 (01)

ALRN PI 011818 28 03 24

ALRN PI  011818   28 03 24

LAPAC JOÃO CÂMARA - 3262-3478 - 99401-7616


Natal celebra 424 anos com programação especial da Prefeitura


A capital potiguar completa, nesta segunda-feira (25), 424 anos. Para celebrar a data, a Prefeitura de Natal organizou o Natal em Natal, projeto cultural que reúne 200 ativações culturais na cidade. Nesta segunda-feira (25), o evento conta com os shows da Cida Lobo, Waldonys, Tanda Macedo e Padre Fábio de Melo. O show vai começar a partir das 19h e a entrada é gratuita.

Em alusão à história do Frevo, o maestro pernambucano Spok se apresenta na Praça Pedro Velho, às 20h. Também haverá evento no Palco da árvore de Mirassol, às 19h30. Os responsáveis em animar a noite serão Nara Costa e Padre Caio Sanfoneiro.

Na quinta-feira (28), o Arena das Dunas recebe Ribeira Boêmia, Banda Grafith e Diogo Nogueira. Na sexta-feira (29), a banda de samba Rosas na Cartola, Juliana Linhares e Alceu Valença prometem animar o público. Para fechar a grade de show no sábado (30), a programação conta com a banda de rock Mobydick, Perfume de Gardênia e Carlinhos Brown.

História

Em entrevista à TRIBUNA, anos atrás, o historiador Gil Silva explicou como a cidade foi fundada. “Um fato bem curioso em relação à fundação da cidade do Natal, está associado a quem fundou Natal. Como todos sabem, o Brasil foi colonizado por portugueses. O Brasil era colônia portuguesa. Mas, na época da fundação de Natal, o Brasil estava sob o domínio da Espanha. Teve um acontecimento que vai de 1580 a 1640, conhecido como a união das coroas ibéricas. Justamente nesse recorte temporal foi fundada a cidade do Natal. O Brasil estava sob domínio da Espanha. Alguns historiadores consideram que, de fato, o fundador da cidade do Natal foi o rei da Espanha, Felipe II, que na época estava governando a Espanha e Portugal”, disse.

Natal ganhou o nome que tem hoje e que se confunde com a data alusiva ao nascimento de Jesus Cristo na religião católica, pois foi fundada em 25 de dezembro de 1599. “Era um costume comum da época colocar os nomes dos locais de acordo com uma data religiosa”, destaca o professor. Ele aponta que outro fato curioso é que Natal já nasceu com “status” de cidade. Cidade já representa um crescimento urbanístico, de infraestrutura, e que Natal quando foi fundada, não tinha isso. “Como fomos fundados pela Espanha, pelo Rei Felipe II, era uma tradição fundar cidades. Por isso que Natal, como cita o próprio Câmara Cascudo, apesar de não ter estrutura, já nasceu como cidade por causa da administração espanhola”, diz Gil Silva.

Os Três Reis Magos, seguindo a tradição católica europeia, deram nome à Fortaleza construída para proteger a cidade. “Muita gente acha que a Fortaleza dos Reis Magos foi fundada junto com a cidade do Natal, mas não. Teve a necessidade da construção de uma fortaleza para proteger a cidade e também o litoral do Brasil contra as invasões estrangeiras. O início da construção da Fortaleza dos Reis Magos se deu no dia 6 de janeiro de 1598, que é o dia de Santos Reis, por isso que eles são nossos patronos”, destaca o professor.

Durante o período colonial, o crescimento da cidade foi muito tímido. Os historiadores consideram que o desenvolvimento passou a ocorrer a partir do Século XIX para o Século XX, quando algumas indústria simplórias passaram a se instalar na cidade. A efetiva transformação ocorreu a partir dos anos 1980, com o Regime Militar, quando foi construída a Via Costeira (Av. Senador Dinarte Mariz). “Há, porém, um contexto histórico muito importante, que é o da Segunda Guerra Mundial”, relembra Gil Silva.

Ele destaca que, na época, o Brasil estava sendo governado pelo presidente Getúlio Vargas quando estourou a Segunda Guerra Mundial e os americanos foram atacados pelos japoneses no Porto de Pearl Harbor, no Havaí. “Os americanos não tinham tecnologias e as condições logísticas da época não davam condições dos americanos fazerem um voo direto para a Europa, porque existia uma grande vigilância nazista no Atlântico e na parte continental da Europa e eles se utilizaram de uma antiga rota, que era pela África. Os americanos precisavam de um ponto estratégico na América do Sul e esse ponto era Natal”, ressalta o professor.

Getúlio Vargas precisava de dinheiro para investir na indústria e os americanos emprestaram dinheiro para Vargas e, em troca, ele ofereceu a Base Aérea de Natal para os americanos. A presença dos soldados americanos no Rio Grande do Norte mudou a rotina da população e transformou a cidade. “Até hoje, temos hábitos que herdamos dos americanos. Natal teve a primeira fábrica da Coca-Cola no Brasil. O hábito de tirar a barba e mascar chicletes, o dólar entrou primeiro na nossa cidade e até mesmo o uso do termo “boy” foi fruto da presença americana em Natal”, sublinha Gil Silva.

Comentários