Pular para o conteúdo principal

PI 072813 (02)

PI 072813 (02)

Torreão FM web

PI 072813 (01)

PI 072813 (01)

ALRN PI 011818 28 03 24

ALRN PI  011818   28 03 24

LAPAC JOÃO CÂMARA - 3262-3478 - 99401-7616


Fraturas no pênis aumentam no Natal, mostra estudo; entenda

Médicos da Universidade Ludwig Maximilian de Munique descobriram que o período do Natal está associado a um aumento nos casos de fratura peniana, ou seja, quando há o rompimento nas regiões produtores de ereção do pênis, causada por uma flexão forçada durante relações sexuais excessivamente entusiasmadas.

Para o estudo, os pesquisadores examinaram dados hospitalares de 3.421 homens que sofreram fraturas penianas na Alemanha entre 2005 e 2021. “Esta lesão tende a ocorrer durante o sexo selvagem – particularmente em posições onde você não está em contato visual direto com seu parceiro”, afirma Nikolaos Pyrgides, urologista da Universidade Ludwig Maximilian de Munique, que liderou a pesquisa.

Segundo os pesquisadores, a intimidade e a euforia da época festiva podem ser os fatores de risco para este tipo de lesão. As fraturas são frequentemente anunciadas por um estalo audível, seguido de dor intensa, e podem trazer sintomas como: perda rápida de ereção, inchaço e hematomas graves. O estudo – o primeiro a explorar padrões sazonais para este tipo de lesão – descobriu que tais lesões eram de fato mais comuns durante o Natal.

“Se todos os dias fossem como o Natal, teriam ocorrido 43% mais fraturas penianas na Alemanha a partir de 2005”, disse Pyrgides.

A pesquisa, publicada no British Journal of Urology International, também descobriu que o risco aumentava nos finais de semana e durante as férias de verão. No entanto, a véspera de Ano Novo não foi associada a um aumento na incidência de lesões penianas.

“A maioria das fraturas penianas ocorre em cenários não convencionais, como durante casos extraconjugais ou quando o sexo é realizado em locais incomuns”, disse Pyrgides, acrescentando que tais cenários eram possivelmente mais prováveis quando os homens se aproximavam da meia-idade.

Segundo o médico, a idade média para sofrer tais lesões foi de 42 anos. Ele aconselhou os casais a estarem cientes do risco de lesões e a terem cautela na preparação para o Natal. “Se isso acontecer, você deve procurar o seu médico como uma emergência absoluta, porque se não for tratado poderá sofrer complicações a longo prazo”, afirma.

Além das fraturas penianas, há outros tipos de lesão relacionados ao Natal. Montar a árvore, por exemplo, é uma delas. Estima-se que cerca de 1.000 britânicos sofrem ferimentos relacionados ao símbolo do Natal. Outro tipo de ferimento são as queimaduras, choques elétricos ou outros ferimentos causados pelos pisca-pisca.

As mortes por doenças cardíacas atingem o pico perto do Natal e do Ano Novo, com um estudo dos EUA identificando um terço a mais de mortes cardíacas no condado de Los Angeles durante dezembro e janeiro em comparação com o período de junho a setembro.

Uma pesquisa com 2.000 britânicos encomendada pela National Accident Helpline (NAH) também descobriu que quase metade dos adultos se machucou enquanto preparava a ceia de Natal. Um em cada dez relatou ter derramado gordura quente sobre si mesmo, enquanto um em cada cinco afirmou ter se cortado enquanto preparava vegetais.

O Globo

Comentários