BTemplates.com

Pular para o conteúdo principal



Bolsonaro diz que sancionará “a qualquer hora” projeto que fixa ICMS dos combustíveis

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (19) que assinará “a qualquer hora da noite ou da madrugada” a sanção do projeto que fixa uma alíquota única para o ICMS em todo o país. O chefe do Executivo afirma que uma vez sancionada a proposta poderá reduzir em cerca de R$ 0,60 o preço do litro do diesel.

Se a Câmara aprovar hoje, da minha parte não interessa a hora, assino qualquer hora da noite ou da madrugada, publica em Diário Oficial– e a partir de amanhã na questão do diesel em vez de se cobrar mais 90 centavos por litro [de diesel], que é um absurdo, se cobra mais 30 centavos. É bastante, mas diminui esse impacto”, declarou em live nas redes sociais.

O projeto muda a forma de cálculo do imposto estadual e foi aprovado no Senado nesta 5ª feira. O texto tem o apoio do governo e é visto como uma forma de segurar o aumento no preço dos combustíveis.

Mais cedo nesta 5ª feira, a Petrobras anunciou um novo reajuste. Os aumentos serão de R$ 0,61 na gasolina e de R$ 0,90 para o diesel, que representam uma elevação de 18,8% e de 24,9%, respectivamente, nas refinarias. O presidente afirmou que o aumento é “absurdo”, mas afirmou que sem ele o país corre risco de desabastecimento.

Se a Petrobras não aumentar –que a Petrobras diz isso aí– teremos o desabastecimento, que é pior que o combustível caro”, declarou.

O chefe do Executivo afirmou que, mesmo com a aprovação do projeto sobre o ICMS, caminhoneiros podem parar de trabalhar por conta do aumento do preço do diesel.

O preço está caro. Tem muito caminhoneiro que vai parar. Eu sei disso, lamento isso aí. Vai parar porque não suporta mais essa carga tributária. É uma questão mundial, o diesel aqui mesmo com tudo isso está mais barato que na Europa e Estados Unidos”, disse.

Bolsonaro repetiu ainda que não pode interferir na Petrobras. Em tom de crítica, sugeriu que o reajuste da estatal poderia ter sido anunciado na semana que vem.

Como seria bom se a Petrobras reajustasse 2ª ou 3ª feira. Mas, não posso interferir na Petrobras mesmo sendo o acionista majoritário. Se pudesse, para dar o reajuste nos combustíveis na 2ª ou 3ª feira estaria tudo resolvido, tranquilamente”, afirmou.

O reajuste começará a valer nesta 6ª feira (11.mar). O aumento anunciado pela petroleira ainda está abaixo da defasagem indicada pelos importadores de combustíveis em relação aos preços de importação. O preço do petróleo tem aumentado por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia.

Poder 360

Comentários