Pular para o conteúdo principal

Radio Conexão Mato Grande Play

LAPAC JOÃO CÂMARA - 3262-3478 - 99401-7616


Medo e insegurança motivam potiguares a blindarem veículos


Uma filha sendo vítima de um sequestro relâmpago e outra tendo o carro baleado numa tentativa de assalto. Duas situações pessoais deixaram uma empresária potiguar, de 53 anos, assustada com o avanço da criminalidade e temendo pela sua segurança em Natal.

As vivências das filhas motivaram a empresária a botar a mão no bolso e investir alto para blindar seu carro e ampliar sua segurança pessoal. A blindagem veicular tem aumentado no Rio Grande do Norte, com mais que o dobro de operações sendo feitas em 2023 em comparação a 2022, segundo informações de interlocutores do setor e da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin).

Apesar do aumento e da demanda existente no Estado, o mercado é tímido e apenas uma empresa faz o serviço no RN, com grupos do Ceará e Pernambuco absorvendo parte do mercado consumidor.

A Exotic Blindagem, localizada em Natal desde 2018, é a única no Estado a promover o serviço. As blindagens têm custos de R$ 70 a R$ 170 mil, a depender do material e modelo do veículo, e têm prazos de cerca de 15 dias para entrega. Por mês, a média é de 8 a 10 blindagens. Em 2023, foram cerca de 70 serviços, contra cerca de 30 em todo o ano de 2022.

Os donos da empresa, Henzo Costa e Betinho Costa, apontam que a insegurança, intensificação de crimes entre facções criminosas nas ruas e roubos de veículos motivam a procura pelas blindagens.

“Desde o que aconteceu no início desse ano [ataques de facções criminosas nas ruas] que se elevou a procura, com um incremento de cerca de 150%. Imagino que tem crescido por conta da criminalidade, da insegurança vivida no nosso Estado. A blindagem dura para sempre, tendo garantia de fábrica de determinado período”, aponta Henzo Costa.

Mesmo pensamento tem o gerente comercial regional da Locker Blindagens, empresa cearense com atuação no mercado potiguar. Segundo Miguel Arcanjo, entre 8 a 10 carros oriundos do Rio Grande do Norte são blindados por mês no Ceará atualmente.

Tribuna do Norte

Comentários