Pular para o conteúdo principal

Radio Conexão Mato Grande Play

LAPAC JOÃO CÂMARA - 3262-3478 - 99401-7616


Mulher que matou caicoense com quase 100 facadas é condenada na PB; ela é suspeita de ter assassinado outras duas pessoas no RN

Marilene da Silva (esq.) e a vítima Gillimara Santos (dir.)


A mulher, identificada como Marilene da Silva Ramos, de 45 anos, foi condenada a cumprir pena de 67 anos, dois meses e 20 dias de reclusão, em regime fechado. Ela é acusada de matar a caicoense Gillimara Santos da Costa, com 95 facadas e tentar contra a vida de Eliene Santos da Silva Diniz e Davi Lucas Santos da Silva, mãe e sobrinho da vítima. O júri popular aconteceu na capital paraibana, na última quinta-feira (23).

O crime, aconteceu no loteamento Parque do Sol, em Gramame, Zona Sul de João Pessoa, em março de 2021. Marilene foi presa no mês seguinte, já na cidade de Campina Grande. Segundo a Polícia Civil, a motivação do crime seria ciúmes, após um relacionamento de aproximadamente cinco anos.

“Às circunstâncias do fato demonstraram que Marilene agiu com extrema frieza e sanha mortífera. A vítima, de acordo com os autos, em nada aparenta ter contribuído para o delito”. Nesse contexto, o magistrado aplicou a pena definitiva de 38 anos e 04 meses de reclusão.

Durante a sentença, o juiz destacou a utilização de medicamentos e venenos por parte da acusada, o que somou os crimes. “os medicamentos benzodiazepínicos e veneno foram colocados na noite anterior ao crime de feminicídio e, para cada copo/taça houve a colocação das substâncias mencionadas. Já o feminicídio, se deu no dia seguinte. Portanto, foram três ações distintas realizadas. Por essa razão, faço o somatório das penas, totalizando 67 anos, 02 meses e 20 dias de reclusão”.

Pela tentativa de homicídio contra Eliane Santos da Silva Diniz, a pena definitiva foi de 13 anos e 04 meses de reclusão, já em relação ao crime praticado contra Davi Lucas Santos da Silva, o juiz impôs 15 anos, 06 meses e 20 dias de reclusão.

O crime

A perícia contabilizou cerca de 95 perfurações de faca no corpo da vítima. Testemunhas informaram que, antes de cometer o crime, a mulher teria dopado a sogra, a companheira e um sobrinho.

Segundo o relato de uma moradora, por volta das 5h da manhã, a mãe da mulher esfaqueada pediu socorro para a filha. Em seguida, os moradores acionaram a Polícia Militar e socorreram a mãe e o sobrinho da vítima, de 7 anos.

A investigação apontou que a idosa e a criança foram dopados com veneno misturado no café e no suco. Os dois foram levados pelo SAMU para o hospital.

A mulher de 45 anos presa suspeita de matar a companheira com 95 facadas, em João Pessoa, também é suspeita de ter matado pelo menos outras duas pessoas no Rio Grande do Norte.

Segundo a delegada Emilia Ferraz, titular da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa da capital paraibana, Marilene da Silva Ramos era foragida da Justiça do RN por ter matado um homem, em 2011, com a ajuda de um comparsa. Ela também teria matado este comparsa em 2014. O inquérito foi concluído nesta segunda-feira (29).

BG

Comentários